Jogar Counter-Strike me ajudou a ser um profissional melhor

Piada? Não! Pelo contrário, tenho essa fase da minha vida como um aprendizado incrível que me acrescentou muito, tanto no lado pessoal quanto no profissional. Importou tanto para mim que eu cheguei ao ponto de colocar no meu currículo que joguei um tal jogo de computador chamado Counter-Strike. Este jogo para aqueles que nunca escutaram, é o jogo de tiro em primeira pessoa mais conhecido e disseminado do mundo, até ai, não importa, o que eu quero é mostrar o porque do aprendizado no final dessa história.

Muitas qualidades eu adquiri logo cedo, dado que joguei este jogo praticamente 3 anos da minha vida, dos 15 aos 18 anos de idade. Quando comecei a jogar, eu era o chamado “newbie” ou seja, principiante. Não queria ser um newbie, acho que ninguém quer ser um newbie no que faz, por isso queria mais, queria evoluir. Chegou um certo momento, depois de muitas horas por dia de dedicação jogando em casa e nas quase “falecidas” lanhouses, que peguei jeito na coisa. Isso me fez enxergar novas possibilidades de evolução, consegui quebrar as crenças limitantes do meu potencial, queria sempre mais, foi quando descobri que não era apenas uma galinha e poderia ser uma águia, em um encontro numa lanhouse, vi que existiam times e campeonatos na cidade onde morava - Santos / SP, foi daí que surgiu minha motivação.

O jogo permite você jogar em time de 5 pessoas com um Manager opcional, tanto na internet quanto fisicamente numa lanhouse, existem disputas de campeonatos no Brasil e no mundo todo. Logo tracei o meu objetivo: ter um time pra ser o melhor do Brasil - entre os 3 melhores já estava ótimo, também coloquei uma meta clara: conquistar isso em no máximo 2 anos para parar de jogar e me dedicar as coisas que dão futuro - estudo e trabalho -, heheh.

Fui atrás disso, montei um time onde eu atuava na linha de frente “matando” todo mundo. Jogamos alguns campeonatos até finalmente conseguir ganhar o primeiro na região. A partir dali ficamos conhecidos pela comunidade, conheci novas pessoas e joguei novos campeonatos até conseguir montar um time. Liderei o time e me dediquei com muita disciplina e comprometimento, todos os dias da semana pelo menos 4 horas de jogo por dia, sem contar os fins de semana, que pela manhã eram regrados de treinos e treinos. Em tal momento defini a minha meta: ser um dos melhores do Brasil no CS em 1 ano e meio, sendo que nessa época já éramos o melhor time da Baixada Santista.

Fizemos uma fusão com outro time para ganhar patrocínio, montamos o [email protected] Team, os fracos saíram e os melhores ficaram, nesse eu fiquei como líder e capitão do time. Meu papel foi influênciar todos a seguir rumo a um objetivo compartilhado por todos, ser o melhor time do Brasil. Éramos em cinco no time, treinamos duro, inclusive com vários times de outras cidades e estados. Fomos para o nosso primeiro campeonato brasileiro de Counter-Strike, e de cara ficamos na 16º posição, tal colocação foi desmotivante para alguns que até pensaram em desistir, meu papel foi sempre de liderar e motivar o time. Fomos para o nosso segundo campeonato, este já fomos um pouco melhor, ficamos na 10º posição. No terceiro, ficamos na 8º posição, um desistiu, pois achou que chegamos ao nosso máximo, que não íamos alcançar nem se quer a quinta posição, ai entramos em pane pois teríamos que treinar tudo de novo. Nessa hora que entrou fortemente o meu papel e o da equipe de se esforçar mais que a média. Conseguimos mais um integrante para time, que por coincidência foi meu irmão, onde resgatamos todo o gás para alcançar a meta.

Fomos para o quarto campeonato, onde obtivemos a melhor colocação da história do time, ficamos entre os 3 melhores do Brasil - pra quem lembra, foi em 2004, os times eram: 1º MiBR, em 2º G3X e a gente em 3º [email protected] -, ficamos por um “round” ou “ponto” de ir pra Dallas no Texas jogar o campeonato mundial - isso ainda está entalado na garganta, mas tudo bem, mérito deles. O que importa é que alcançamos a meta e não queríamos mais jogar CS depois disso. Acabou por ai, conseguimos chegar ao nosso objetivo.

Conclusão: aprendi a ser persistente e não desistir nunca.

Levo importantíssimos aprendizados que me fizeram e me fazem largar na frente, amadureci rapidamente como pessoa e profissional, consegui enxergar e saber entender o valor de muita coisa numa visão prática, como: liderança; gestão de pessoas; gestão de conflitos; astúcia; espírito de equipe; motivação; adrenalina; competição; persistência; garra; disciplina; determinação; dedicação; foco; treino; auto-organização; comprometimento; e muitas outras qualidades que um esporte de competição proporciona. Resumindo, essas qualidades aprendidas na prática, mesmo de um jogo de computador, levo como bagagem pra minha atuação profissional e pessoal pro resto da vida.

Alguém já jogou algum jogo que o ajudou ser um profissional melhor? Enviem seus comentários :)


Written in by Leandro Alvares da Costa